Segunda-Feira , 20 Novembro 2017

 

Cidade vai ganhar espécie de "Vale do Silício" na região do Comércio 

 

O programa Salvador 360 avança e terá o quinto eixo voltado para a criação de um ambiente tecnológico na cidade, que deverá posicionar a primeira capital do país na lista de locais que utilizam a tecnologia na modernização de processos, solução de problemas e no próprio desenvolvimento econômico, com vistas a melhorar a qualidade de vida dos cidadãos. É o Salvador Cidade Inteligente, que terá os detalhes apresentados pelo prefeito ACM Neto e gestores municipais em cerimônia que acontece nesta sexta-feira (20), às 10h, no Terminal Marítimo da Bahia, no Comércio.

 

Para seguir a premissa do Salvador 360, que é impulsionar o desenvolvimento econômico e gerar emprego e renda, o Cidade Inteligente reúne 35 projetos e ações, que inserem a tecnologia como uma importante política pública de Salvador. Além disso, visa promover o desenvolvimento econômico com base em empresas e soluções voltadas à inovação, assim como dar continuidade à eficiência e modernização da gestão e serviços públicos. Sendo assim, a proposta é fazer com que a capital baiana siga a tendência de ser uma cidade digital, mais ágil e eficiente, a exemplo das demais metrópoles do mundo.

 

Sob a coordenação da Secretaria Municipal de Desenvolvimento e Urbanismo (Sedur), o eixo conta também com a participação das secretarias Cidade Sustentável e Inovação (Secis), de Gestão (Semge), de Mobilidade (Semob) e de Trabalho, Esporte e Lazer (Semtel), além da Companhia de Governança Eletrônica de Salvador (Cogel). A construção da inciativa contou, ainda, com a participação de entidades empresariais e acadêmicas da capital. 

 

O projeto-âncora desta iniciativa é o Hub de Tecnologia de Salvador, que será instalado justamente no Terminal Marítimo e tem como ideia ser um “Vale do Silício” municipal. Na fase inicial, a estrutura preparada pela Prefeitura contará com capacidade para abrigar 100 startups (empresas emergentes), que deverão desenvolver projetos que envolvem os setores financeiro, jurídico, social e de serviços. 

 

O gerenciamento do Hub de Tecnologia deverá ser feito por uma grande empresa com experiência em atração de startups, que terá a missão de selecionar os melhores projetos pertencentes a diversos segmentos, de todas as partes do mundo. Para a implantação, deverá ser promovida a captação de fundo para os próximos cinco anos. A intenção é de que a estrutura comece a ser implantada até março de 2018. Todas as informações serão detalhadas pelo prefeito nesta sexta-feira.