Terça-Feira , 12 Dezembro 2017

 

Era impossível esconder a euforia. O pequeno João Victor da Silva, de dez anos, estava afônico de tanta alegria em poder brincar de slackline – esporte em que o participante caminha sobre uma fita – pela primeira vez. O aluno estuda na Escola Municipal Adilson de Souza Gallo, umas das dez instituições integrantes da edição do projeto Caravanas das Artes e dos Esportes em Salvador, que ocorre no Campo do Irecê, em Pirajá, até esta quinta-feira (5). O evento é desenvolvido através do Instituto Mpumalanga e do Instituto Esporte e Educação, em parceria com o Unicef, a Disney e a ESPN.

"Eu sempre brinco de skate mas nunca desse negócio da fita. Foi muito legal! Meus colegas todos brincaram comigo e a gente se divertiu muito. Até o instrutor brincou com a gente. Se puder, quero participar disso aqui de novo", contou João Vitor, sorridente. O projeto itinerante visita, há doze anos, uma cidade por mês no Brasil e tem como objetivo a inserção da arte e do esporte como ferramenta de educação. São desenvolvidas diversas ações voltadas para o público infantil no espaço, dentre elas aulas de vôlei, basquete, dança e música. Em uma tenda reservada, outro grupo de alunos participa de uma sessão de cinema.

O projeto também promove formação para 250 professores, apresentando as ferramentas usadas pelas caravanas e a metodologia de trabalho aplicada nas atividades, dando continuidade ao trabalho nas escolas. “Não é utilizar a arte e o esporte como disciplina, é a arte e o esporte para educar. A metodologia envolve o entendimento do corpo, a participação das crianças. É pensar o esporte de uma maneira diferente. Aqui ninguém está procurando um atleta de ponta, estamos procurando impulsionar o desenvolvimento motor, a participação em grupo”, explicou a coordenadora de produção do projeto, Vivian Schaesser.

Todo material esportivo, confeccionado com itens reaproveitados como garrafas pet, jantes de motocicletas e peças de elevadores, são doados para as instituições de ensino. Também houve uma capacitação para jovens autores, voltada a adolescentes de 15 a 17 anos, que busca proporcionar estímulo à literatura e, quem sabe, uma produção neste ramo. Para as mulheres da comunidade, foi ofertada uma palestra intitulada "Todas Por Elas", que busca fomentar o empreendedorismo feminino. As atividades contaram com a presença do medalhista olímpico da natação, Edvaldo Valério, do Grupo Quabales e da cantora Margareth Menezes.