Terça-Feira , 21 Novembro 2017

 

As mudanças tecnológicas realizadas na Defesa Civil de Salvador (Codesal), que tiveram início no final de 2015, foram abordadas no 1º Congresso Gaúcho de Cidades Digitais, que acontece na cidade de Bento Gonçalves, no Rio Grande do Sul, até esta sexta-feira (11). O gestor do Núcleo de Tecnologia da Informação da Codesal, Reginaldo Araújo, ministrou palestra com o tema “Resultados e desafios do uso estratégico da tecnologia no setor público: O caso da Defesa Civil de Salvador”.

 

“Foi apresentado todo o processo de inovação tecnológica na Codesal e tivemos uma resposta bastante positiva dos participantes. Mostramos o quanto essa inovação foi e continua sendo importante, principalmente para a população soteropolitana. Temos agora, por exemplo, as vistorias eletrônicas – muito mais ágeis do que no modo antigo, quando eram feitas no formulário de papel”, explica Araújo.

 

De acordo com o diretor-geral da Codesal, Gustavo Ferraz, a participação da gestão municipal no congresso tem muito a agregar para a melhoria da qualidade do atendimento. “É um momento de troca de informações. Essa é uma área muito dinâmica e todas as novidades são analisadas para que possamos implantar aquilo que beneficia o cidadão. O nosso compromisso é melhorar o atendimento”, salienta Ferraz.

 

Evolução tecnológica – Dentre as inovações promovidas no órgão municipal de Defesa Civil está implantação de 38 pluviômetros automáticos em bairros e ilhas, para aumentar a capacidade de monitoramento do volume de chuvas na cidade. Seis sistemas de alerta e alarme implantadas em áreas de risco estão funcionando a pleno vapor. Com o Centro de Monitoramento e Alerta da Defesa Civil (Cemadec), que funciona na sede do órgão, na Avenida Bonocô, os técnicos podem fazer previsão de riscos e desastres naturais ao acompanhar as imagens do radar meteorológico de Salvador, de satélites e dos pluviômetros instalados na cidade.

 

Foi realizado ainda o fortalecimento da chamada “Etapa de Alerta” com a utilização em escala máxima dos novos recursos administrativos, tecnológicos e gerenciais incorporados desde 2015.  O Sistema Georreferenciado de Riscos (SIGR), a informatização e georreferenciamento das vistorias técnicas com a utilização de tablets e envio imediato das informações pelos técnicos, além da implantação de alerta para moradores de áreas de risco via SMS, também integram a lista de inovações.