Terça-Feira , 21 Novembro 2017

 

A Escola Municipal Professor Carlos Formigli, no bairro de Tancredo Neves, convive com o desafio diário de despertar o interesse pelo aprendizado nos adolescentes e jovens submetidos ao internamento na Comunidade de Atendimento Socioeducativo de Salvador (Case-Salvador). Em busca da promoção da alfabetização e letramento desse público, com idade entre 12 e 21 anos incompletos, a equipe pedagógica da unidade tem promovido uma série de atividades lúdicas e culturais aos jovens privados de liberdade.

 

A mais recente delas foi um concurso de desenho, que premiou a melhor produção, com um kit de artes, em julho. Ao todo, dez desenhos foram selecionados e aguardam por um passeio que está sendo planejado pela direção da escola. A.C, de 16 anos, vencedor do primeiro lugar, fez uma gravura que representa a importância da coletividade para a construção do conhecimento. A equipe pedagógica da escola planeja transformar a peça artística vencedora em um emblema para o fardamento dos estudantes.

 

Para a vice-diretora do turno matutino, Renata Santos, o resultado é gratificante. “Esses meninos chegam aqui desanimados com a instituição. Saber que conseguimos despertar neles esse sentimento de comunidade e de coletividade é algo que não tem preço. Nosso objetivo maior com esse concurso foi, justamente, fazer com que eles notassem o quanto a presença de cada um deles tem um significado especial”, disse.

 

No final do ano passado, a escola promoveu a sua primeira formatura. Ao todo, 32 alunos usaram becas e chapéus produzidos pela equipe pedagógica da escola e receberam o certificado de conclusão da Educação de Jovens e Adultos I (EJA-I). A cerimônia contou com bolo, doces e salgados e muita música. Durante o evento, os alunos fizeram o tradicional juramento e homenagearam funcionários e pais, que acompanharam a cerimônia. A merendeira Alaíde Araújo foi uma das homenageadas.  

 

Os formados são transferidos para um anexo do Colégio Estadual Roberto Santos, que também funciona dentro da Case e fornece educação para alunos do 6º ano do Ensino Fundamental II ao 3º ano do Ensino Médio. “É o início de uma nova etapa para eles e representa também a esperança de mudança de vida”, opina a vice-diretora, Renata.  

 

PIBID – Desde o segundo semestre desse ano, mais uma importante iniciativa está ocorrendo na Escola Municipal Professor Carlos Formigli. Por meio do Programa Institucional de Iniciação à Docência (PIBID), cinco alunos do curso de Pedagogia da Universidade Estadual da Bahia (Uneb) estão tendo a oportunidade de conhecer o projeto político-pedagógico da instituição e de dar aula ao público da Case.

 

“Essa é a primeira vez que o PIBID é realizado aqui e é muito bom porque não só os alunos de Pedagogia conhecem a escola, como produzem trabalhos científicos sobre ela, apresentando assim a dinâmica da instituição para a sociedade. Além disso, o grupo do PIBID traz um olhar renovado e troca conhecimentos com todos nós, tanto com os adolescentes como com os profissionais que já atuam”, revela a vice-diretora do turno vespertino da escola, Eliane Souza.

 

A escola – A Escola Municipal Carlos Formigli foi fundada em 2002 e recebe o nome do diretor da Fundação da Criança e do Adolescente (Fundac) da época. A unidade tem seis salas de aula e uma sala de leitura. Ao todo, há dez professores que atendem, atualmente, 117 alunos em 12 turmas, seis pela manhã e seis pela tarde. Uma dessas turmas é multisseriada e funciona na Case Feminina.