Segunda-Feira , 20 Novembro 2017

Banhada por uma das maiores baías navegáveis do mundo, Salvador passará a impulsionar ações que vão desenvolver a economia, o turismo e a preservação dos recursos naturais da Baía de Todos os Santos (BTS). Isso tudo celebrando a chegada da maior regata transatlântica do mundo: a Transat Jacques Vabre. A Vila da Regata, localizada ao lado do Terminal Náutico de Salvador, no Comércio, foi aberta oficialmente nesta segunda-feira (13). Na mesma oportunidade, foi instalado o Comitê Náutico de Salvador, que reúne instituições municipais, estaduais, federais e da sociedade civil.

O evento contou com as presenças do prefeito ACM Neto; dos secretários de Turismo de Salvador e da Bahia, Cláudio Tinoco e José Alves, respectivamente; do secretário de Esportes da cidade francesa de Le Havre, Sébastien Tasserie, e do diretor da competição, Francis Le Goff, dentre outras autoridades, equipe técnica e imprensa. A abertura oficial da Vila da Regata também foi palco da recepção dos primeiros competidores a chegarem à capital baiana: a dupla campeã Thomas Coville e Jean-Luc Nélias, a bordo do Sodebo Ultim, e os vice-campeões Sebastien Josse e Thomas Rouxel, no comando do Maxi Edmond de Rothschield – ambos da classe Ultime.

O prefeito destacou o esforço de todos para fazer com que a regata voltasse a ter Salvador como destino e salientou a importância do Comitê Náutico de Salvador. “Vem reforçar o que estamos fazendo no turismo, esporte e economia náutica, a exemplo da atração desta regata internacional, que ajuda a movimentar a nossa economia e promover Salvador no Brasil e no mundo. Teremos investimentos na Baía de Todos-os-Santos, a exemplo da infraestrutura, estamos investindo na requalificação da orla da cidade e certificação das praias. É um conjunto de ações que, somadas, vai tornar Salvador uma das principais cidades em termos de economia náutica no Brasil”, salientou ACM Neto.

Os secretários de Turismo municipal e estadual ressaltaram a importância do esforço entre as duas esferas para a promoção de ações que aproveitem o potencial da BTS. “Salvador tem um pedaço pequeno na Baía de Todos-os-Santos e é muito bom termos essa parceria nesta e em outras iniciativas”, pontuou Tinoco. “A regata é uma ação da Prefeitura com o governo estadual, mostrando que estamos acima de todas as bandeiras políticas para trazer o que há de melhor para o nosso Estado e o Município”, completou Alves.

O diretor da Transat Jacques Vabre considerou este um grande retorno da regata para Salvador. “Esta baía é magnífica e, aqui, o clima da cidade e o calor das pessoas fazem bem ao nosso coração. A regata reúne os maiores barcos de competição do mundo e o evento faz com que Salvador seja reconhecida como a principal referência da vela no mundo nesse período. Esperamos voltar aqui regularmente e obrigado a todos pela acolhida”, disse Le Goff.

O secretário de Esportes de Le Havre contou um pouco da origem da regata – iniciada em 1993 e com apoio da fábrica de café Jacques Vabre – e também salientou a satisfação em voltar para a cidade baiana. “Vida longa a essa parceria entre Le Havre e Salvador”, desejou Tasserie.

Vila da Regata – Com um show da Banda Mametto no domingo (12), a Vila da Regata Jacques Vabre começou a programação voltada aos amantes, simpatizantes e curiosos de esportes náuticos, seguindo até o próximo dia 24. O espaço funciona das 17h às 22h, de segunda a sexta-feira, e das 12h às 22h, aos sábados e domingos. A programação cultural, que traz uma série de atrações especiais, é realizada pela Prefeitura por meio da Secult e Saltur.

Na parte musical, as apresentações reúnem destaques do cenário musical da Bahia com muito axé, MPB, samba, ritmos caribenhos e instrumentais, sempre a partir das 19h. O público vai conferir shows da Confraria da Música (dia 13), instrumental com Saxofone (dias 14 e 20), Dan Miranda (dia 15), Funk Machine com Adelmo Casé (dia 16), Márcia Short (dia 17), Alexandre Leão (dia 18), Magary Lord (dia 19), Filhos de Jorge (dia 21), La Playa (dia 22), Carla Cristina (dia 23) e Gerônimo (dia 24).

Quem aprecia uma boa gastronomia contará com um restaurante – Das Águas – comandado pelo renomado chef baiano Murilo Brocchini. O cardápio especial para a regata traz novidades como as lagostas da Gamboa, ostras de Kaonge e carneiro do Remanso, além de sorvetes e picolés. O espaço do restaurante funciona no varandão do terminal até as 22h. Para os pais que quiserem levar os filhos, também há um espaço dedicado apenas ao púbico infantil. Na Área Kids, são promovidas atividades de entretenimento com a realização de pinturas de rosto, esculturas em gesso, pinturas de desenhos e muitas brincadeiras.

França/Bahia – A regata Transat Jacques Vabre teve início no domingo passado (5), na cidade francesa de Le Havre, e conta com a participação de 37 barcos, incluindo uma dupla brasileira. A competição, umas das mais prestigiadas da vela internacional, reúne 74 velejadores de oito países. São quatro classes com os mais modernos e rápidos veleiros de oceano: Ultime, Multi50, IMOCA e Class40.

Comitê – Além da abertura da Vila da Regata pelo prefeito ACM Neto, também foi realizada a instalação do Comitê Náutico de Salvador. Criado através do Decreto Municipal 28.231/2016, o comitê tem o objetivo de organizar, promover e apoiar o desenvolvimento da economia náutica na cidade, tendo como foco a expansão do turismo e das demais atividades econômicas relacionadas com a náutica.

Com 13 membros titulares e respectivos suplentes, o grupo é presidido pela Secult e possui como membros governamentais a Secretaria Municipal de Urbanismo (Sedur), Empresa Salvador Turismo (Saltur), Secretaria de Turismo do Estado da Bahia (Setur), Superintendência do Patrimônio da União (SPU-BA) e Marinha do Brasil. Também fazem parte do Comitê Náutico a Associação Comercial da Bahia (ACB), o Yacht Club da Bahia (YCB), Aratu Iate Clube, Empresa Regatta, B3 Estaleiro, Associação dos Transportadores Marítimos da Bahia (Astramab) e Bahia Marina.

Dentre as competências está o apoio ao desenvolvimento de ações, tendo como referência as conclusões e recomendações da “Estratégia de Desenvolvimento da Economia Náutica para o Município de Salvador”, e das “Diretrizes Gerais, Programas de Ação e Projetos para a Economia Náutica” para a capital baiana, frutos de estudos técnicos promovidos pela Secult. Também deverá apoiar na identificação, articulação e integração de todos os ramos e vertentes da atividade náutica no território do Município.

O comitê vai articular ações para a estruturação do setor náutico, mediante a integração de todos os ramos de atividade afins; sugerir e acompanhar a realização de eventos e atividades relacionadas com a náutica, especialmente aquelas destinadas ao fortalecimento e ampliação do turismo em Salvador. Vai propor ainda medidas para a simplificação e eficiência na concessão das licenças e permissões necessárias para o exercício da atividade náutica, nos limites da competência municipal; e analisar dados e informações sobre a evolução das atividades náuticas no Município, na busca pela contínua melhoria do desempenho.

Ações prévias – A instalação do Comitê Náutico de Salvador surge dentro de uma série de iniciativas realizadas ou em realização pela Prefeitura, que contribuem para o aproveitamento do potencial da Baía de Todos os Santos para a capital baiana. Dentre elas está a requalificação dos trechos de orla, a exemplo da Barra, Tubarão, São Tomé de Paripe, Ribeira e Plataforma/Itacaranha – este último em andamento. Está prevista também a recuperação da Ponta do Humaitá, com recursos do Programa de Desenvolvimento do Turismo (Prodetur).

Nos ramos turístico e ambiental, a praia de Ponta de Nossa Senhora de Guadalupe, na Ilha dos Frades, foi a primeira do Nordeste/Nordeste do país a receber a certificação internacional Bandeira Azul de qualidade da água e das instalações. A administração municipal também tem buscado atrair eventos náuticos que tenham impacto positivo no turismo da cidade, a exemplo da regata Transat Jacques Vabre. Outras iniciativas envolvem a criação do primeiro Parque Marinho de Salvador, entre o Farol e o Porto da Barra; o estímulo à criação de novas vagas de marina; o incentivo à cadeia produtiva do ramo náutico, desde o comércio de produtos até capacitação de mão-de-obra; e a atração de novos investimentos.