Segunda-Feira , 20 Novembro 2017

 

O sistema de integração do transporte coletivo por ônibus de Salvador tem como objetivo o enfrentamento de três problemas crônicos que acometiam os passageiros: o tempo de espera nos pontos de ônibus; a duração da viagem, que era considerada longa; e a lotação dos veículos no horário de pico. Para solucioná-los, a Secretaria Municipal de Mobilidade (Semob) aumentou a quantidade de viagens. “Todos os bairros que passaram pela reestruturação das linhas ganharam mais viagens e, com isso, tiveram um ganho de tempo de, no mínimo, 50%. Agora, o tempo médio de espera nos pontos é de 15 minutos”, afirma o secretário Fábio Mota.

É importante ressaltar que existem dois tipos de integração, a municipal e a metropolitana. A Semob se responsabiliza apenas pela integração municipal que, de maneira alguma, tem por objetivo obrigar o usuário do transporte público a utilizar o metrô. Os passageiros têm a opção de realizar a integração ônibus/ônibus, ônibus/metrô, ou ainda, ônibus/metrô/ônibus. As linhas que têm como destino os terminais de transbordo – como Acesso Norte, Lapa, Pirajá e Mussurunga – podem ser integradas a outras linhas com destino a diversos pontos da cidade, o que abre um leque de opções de mobilidade.

Salvador passou por significativas mudanças nas últimas décadas. Uma delas foi o crescimento populacional, que saltou de 500 mil em 1960 para cerca de 2,6 milhões em 2017, refletindo numa das maiores densidades populacionais do país. Além disso, novas vias foram construídas na capital baiana nos últimos anos. Aliados à chegada do metrô, esses fatores incitaram a necessidade de um redesenho das linhas de ônibus. As mudanças que estão sendo implementadas, de maneira gradativa, são fruto de um estudo realizado pela Agência Nacional de Transporte, há um ano e meio. Este estudo foi debatido por técnicos do órgão, que observaram vários aspectos que proporcionassem melhorias para o coletivo.

Junto com a reestruturação das linhas, a ampliação dos postos de recarga do Bilhete Único – sistema que inclui a Meia Passagem Estudantil, o Bilhete Identificado, o Avulso e o Vale Transporte Eletrônico – proporcionou mais conforto aos passageiros. “Saímos de três pontos de recarga em 2013 para 218. Agora é possível recarregar os cartões do Bilhete Único em shopping centers, nos campi universitários, Prefeituras-Bairro, nos terminais de transbordo e em diversos outros pontos credenciados”, diz Mota. Hoje, Salvador dispõe de 600 mil cartões ativos, ou seja, que foram utilizados ou carregados pelo menos uma vez nos últimos seis meses. Para saber onde obter um cartão, basta acessar o site www.salvadorcard.com.br.