Segunda-Feira , 20 Novembro 2017

Com a aproximação do calendário de festas populares que iniciará em Salvador no próximo mês, a Vigilância Sanitária de Salvador (Visa), órgão ligado à Secretaria Municipal de Saúde (SMS), reuniu pouco mais de 100 barraqueiros para uma capacitação sobre aspectos legais e sanitários de manipulação de alimentos, assim como as noções de segurança alimentar e saúde do trabalhador. O encontro aconteceu nesta segunda-feira (13), no Multicentro Carlos Gomes, no Centro.

Os tópicos debatidos na palestra envolveram temas sobre contaminação e acondicionamento de alimentos e bebidas em condições de tempo e temperatura adequadas, além de cuidados com a higiene pessoal. Para facilitar no aprendizado, foram usados elementos audiovisuais, como vídeos, textos e figuras. A ação atendeu uma demanda da associação e do sindicato dos Barraqueiros de Festas Populares da Bahia.

“É necessário que os permissionários tenham noção do certo e do errado, quais circunstâncias que levam ao risco sanitário. Dentro das áreas de atuação deles, discutimos os perigos que a falta de higiene pode ocasionar”, explicou a chefe da Vigilância Sanitária do distrito Centro Histórico, Ana Leira. A profissional de saúde frisou que os erros mais comuns praticados pelos vendedores durante os festejos são: armazenamento inadequado dos alimentos, falta de higienização dos ambientes de trabalho, ausência de gerenciamento de resíduos e falta de limpeza dos utensílios usados na preparação das comidas.

“O percentual de soteropolitanos e turistas que visitam as festas populares e consomem nessas barracas é grande, por isso a importância dessa ação, que tem cunho educativo. A intenção é que os riscos sejam minimizados, para que os permissionários mantenham suas barracas de uma forma bem apresentada”, acrescentou Leira. Ela também lembrou que um consumidor que ingere alimentos estragados ou contaminados pode sofrer infecções e doenças provenientes de vírus, bactérias e parasitas.

A presidente do Associação dos Barraqueiros de Festas Populares da Bahia (Abfest), Railda Carvalho, reforçou que a capacitação dada pela Visa é um incentivo para que os barraqueiros melhorem os serviços oferecidos à população. “Ainda temos deficiências durante as nossas atividades nas festas. Por esse motivo, vimos a clientela cada vez mais se afastando. Estamos participando de várias discussões sobre isso, buscando melhorar na limpeza, alimentação e no atendimento”, assegurou.