Terça-Feira , 12 Dezembro 2017

Mais um capítulo das ações da Prefeitura rumo à completa inclusão social das pessoas com deficiência acontece nesta quinta-feira (07), às 10h, quando será lançado o programa Acessibilidade Digital Salvador. Trata-se de uma parceria entre a Unidade para Pessoas com Deficiência do município (UPCD), a Companhia de Governança Eletrônica (Cogel), o Instituto de Cegos da Bahia (ICB) e o Conselho Municipal das Pessoas com Deficiência (Comped), que ofertará cursos gratuitos de capacitação digital para este público.

A capacitação ocorrerá na sede da UPCD, localizada na Rua Engenheiro Lima e Silva, Edifício Fernando José, 399, na Avenida Joana Angélica. A estrutura fica no mesmo prédio em que hoje está instalado o Instituto de Previdência do Salvador (IPS/Previs). O objetivo, segundo a gestora da UPCD, Risalva Telles, é contribuir para a completa formação do segmento, qualificando profissionais com os diversos tipos de deficiência - motora, visual, auditiva e intelectual - para que estejam aptos a lidar de forma menos desigual com as exigências do mercado de trabalho.

"Vamos dar início a uma série de cursos de informática básica, de modo a alcançar todas as especificidades referentes às pessoas com deficiência. A medida é uma forma de criar um instrumento para inclusão digital, buscando fomentar o empreendedorismo individual, com incentivo ao ingresso desses cidadãos no mercado de trabalho, gerando oportunidades através da capacitação, integrando e incluindo a partir da disseminação do conhecimento", disse Risalva Telles.

Os cursos contarão, a princípio, com turmas compostas de 8 a 16 alunos e terão a duração de uma semana, sendo ministrados nos turnos matutino e vespertino. Os professores serão designados pela Cogel e pelo Instituto dos Cegos, de acordo com a demanda e a especialidade. "A disponibilização desses cursos é mais um grande avanço no trabalho da Prefeitura, que já tem histórico no campo da inovação, como ocorreu ao disponibilizar serviço de internet sem fio gratuito durante o carnaval. É muito importante promover essa inclusão social por meio da tecnologia", diz Alberto Braga, presidente da Cogel.

"Se quisermos realmente promover a inclusão plena das pessoas com deficiência precisamos pensar na diversidade de diferenças contidas neste termo. No instituto trabalhamos com pessoas cegas e com baixa visão, desde o recém-nascido até o adulto. Essa parceria com o poder público proporciona uma inclusão real desse público na sociedade, pois na atualidade é necessário o acesso à internet, uso das mídias sociais e outras ferramentas que serão apresentadas durante essa capacitação. O ICB possui uma série de habilitações que dá oportunidade aos PCDs de realizar coisas que eles achavam que não conseguiriam fazer", detalha Heliana Diniz, presidente do Instituto de Cegos da Bahia.